Share: Share on Facebook Share on Twitter Share on LinkedIn I recommend visiting cushmanwakefield.com to read:%0A%0A {0} %0A%0A {1}

Tudo sobre fulfillment

Eric Ammirati • 5/5/2023

Nos últimos tempos você deve ter ouvido falar em fulfillment. Apesar de a prestação de serviços de armazenagem e gestão de mercadorias para clientes externos existir há tempos no mercado logístico, o conceito se tornou mais abrangente e ganhou notoriedade após a ascenção do comércio eletrônico, especialmente nos últimos 2 anos.

Fulfillment

Saiba mais sobre fulfillment e sua importância para os varejistas.

Afinal, o que é fulfillment?

Nos últimos 2 anos a palavra fulfillment começou a ser mais presente no mercado logístico, mas afinal, qual a diferença entre a operação logística tradicional e o fulfillment?

A prestação de serviços de armazenagem e gestão de mercadorias para clientes externos existe há tempos. O que houve, nesse sentido, foi uma evolução dos serviços, impulsionada, principalmente, pelo avanço das vendas online durante o primeiro ano da pandemia.

Eric Ammirati, Gerente de Locações da Cushman & Wakefield, explica que por muito tempo os operadores logísticos tradicionais foram os grandes ocupantes de galpões no Brasil. A partir de 2020, isso começou a mudar, e, desde então, estes viram seus escopos se tornarem mais abragentes e adaptados às necessidades atuais, assim o serviço evoluiu para o que chamamos hoje de fulfillment.

Fulfillment é um serviço mais abragente e complexo que a empresa oferece, uma evolução da operação logísica. No fulfillment o prestador realiza todo o ciclo de gestão dos produtos até a entrega da mercadoria na mão do cliente final:

• Recebimento do produto
• Gestão de estoque
• Manejo dos itens
• Ordem de saída
• Controle dos números de série
• Controle de validade, no caso de produtos perecíveis
• Destinação/entrega dos pedidos
• Logística reversa em alguns casos

Esses são alguns dos processos que o serviço de fulfillment pode contemplar.

Para isso, são utilizados sistemas de informática, de gerenciamento do armazém, roteirização, sempre cuidando da entrega, independentemente se o pedido irá direto para o endereço final ou se ainda passará pela etapa de last mile.

Em linhas gerais, são todos todos os processos de manejo, gestão de estoque e entrega ao cliente final.

‘‘A ideia é que ao cuidar de todo o ciclo de entrega do produto, o prestador seja um braço da empresa para a qual presta serviço, isentando-a da necessidade de certas áreas que precisaria manter internamente para realizar tais atividades. Em alguns casos o operador cuida até do pós venda’’, comenta Eric.

Sendo assim, a empresa pode focar em produzir, comprar bem, vender, e todo o resto da cadeia de entregas fica na mão de empresas especializadas, possibilitando ter uma operação mais exuta e competitiva, com uma estrutura menor e mais barata.

Hoje o mercado tem muita participação de empresas terceirizadas para fazer fulfillment: DHL, AGV e FEDEX são algumas das mais conhecidas.
Boa parte da indústria farmacêutica e de eletrônicos, por exemplo, têm esses processos na mão de terceiros. Por maior que seja a empresa, é uma prática comum.

Mas se engana quem pensa que o fulfillment serve apenas para grandes empresas. Pequenas e médias também podem se beneficiar dessa terceirização.

Galpão ideal para operações fulfillment
O tamanho do CD varia de acordo com o volume de produtos que serão manejados. Algumas empresas precisarão de três, cinco, cinquenta, cem mil metros quadrados. Além disso, um operador logístico fulfillment pode ser mono ou multiclientes, ou seja, prestar serviços para diversos clientes no mesmo site, ou, ainda, atender uma única operação dedicada.

Independente do volume e tamanho do CD, o conceito de fulfillment permanece.

Eric conta que operações fulfillment não exigem infraestruturas muito específicas de galpões, porém, os imóveis mais modernos acabam tendo características técnicas favoráveis, como conforto térmico, tecnologia, qualidade de iluminação: ‘‘Essa eficiência construtiva tende a gerar mais economia e fazer com que esse perfil de imóvel seja mais procurado pelos ocupantes, assim como a localização estratégica e o fácil acesso a rodovias importantes também atraem mais procura’’, finaliza.

A Cushman & Wakefield possui soluções tanto para ocupantes em busca do local ideal para instalar sua operação fulfillment, quanto para proprietários e players de condomínios logísticos que procuram atrair ocupantes. Além disso, a empresa presta consultoria em sustentabilidade para certificações como LEED e EDGE.

Clique aqui e saiba mais sobre os serviços de Transações da Cushman & Wakefield.

ARTIGOS APRESENTADOS

FM Pilares
Artigo • Facilities Management

Facility Management: pilares da implementação e gestão assertivas

Ao atuar em qualquer área do mercado imobiliário, o conhecimento e o domínio técnico são de grande importância para atingir os melhores resultados e buscar a melhoria contínua.

Rodrigo Costev • 11/7/2023
Facilities Padroes
Artigo • Facilities Management

Gerenciamento de facilities: como criar padrões?

O Gerenciamento de facilities tem como foco diário manter em condições ideais de operação grandes edificações como complexos multiúso, shopping centers, condomínios, escolas, lojas, agências bancárias, lajes corporativas, parques/clubes de lazer, etc.

Rodrigo Costev • 9/5/2023
Facilities Missao Critica
Artigo • Facilities Management

Gerenciamento de Facilities para Missão Crítica

Ambientes de missão crítica referem-se a setores e infraestruturas nos quais a continuidade operacional é essencial para a segurança, saúde e economia.

Rodrigo Costev • 8/22/2022

NÃO ENCONTROU O QUE PROCURA?

Entre em contato com um de nossos profissionais.

A Cushman & Wakefield utiliza cookies para analisar o tráfego e melhorar a experiência de navegação do usuário neste website. Feche este diálogo para confirmar o seu consentimento, ou visite esta página para saber mais:
Informações Importantes sobre cookies

Mais opções
Concordar e Fechar
These cookies ensure that our website performs as expected,for example website traffic load is balanced across our servers to prevent our website from crashing during particularly high usage.
These cookies allow our website to remember choices you make (such as your user name, language or the region you are in) and provide enhanced features. These cookies do not gather any information about you that could be used for advertising or remember where you have been on the internet.
These cookies allow us to work with our marketing partners to understand which ads or links you have clicked on before arriving on our website or to help us make our advertising more relevant to you.
Agree All
Reject All
SAVE SETTINGS

Nos últimos tempos você deve ter ouvido falar em fulfillment. Apesar de a prestação de serviços de armazenagem e gestão de mercadorias para clientes externos existir há tempos no mercado logístico, o conceito se tornou mais abrangente e ganhou notoriedade após a ascenção do comércio eletrônico, especialmente nos últimos 2 anos.

Fulfillment

Saiba mais sobre fulfillment e sua importância para os varejistas.

Afinal, o que é fulfillment?

Nos últimos 2 anos a palavra fulfillment começou a ser mais presente no mercado logístico, mas afinal, qual a diferença entre a operação logística tradicional e o fulfillment?

A prestação de serviços de armazenagem e gestão de mercadorias para clientes externos existe há tempos. O que houve, nesse sentido, foi uma evolução dos serviços, impulsionada, principalmente, pelo avanço das vendas online durante o primeiro ano da pandemia.

Eric Ammirati, Gerente de Locações da Cushman & Wakefield, explica que por muito tempo os operadores logísticos tradicionais foram os grandes ocupantes de galpões no Brasil. A partir de 2020, isso começou a mudar, e, desde então, estes viram seus escopos se tornarem mais abragentes e adaptados às necessidades atuais, assim o serviço evoluiu para o que chamamos hoje de fulfillment.

Fulfillment é um serviço mais abragente e complexo que a empresa oferece, uma evolução da operação logísica. No fulfillment o prestador realiza todo o ciclo de gestão dos produtos até a entrega da mercadoria na mão do cliente final:

• Recebimento do produto
• Gestão de estoque
• Manejo dos itens
• Ordem de saída
• Controle dos números de série
• Controle de validade, no caso de produtos perecíveis
• Destinação/entrega dos pedidos
• Logística reversa em alguns casos

Esses são alguns dos processos que o serviço de fulfillment pode contemplar.

Para isso, são utilizados sistemas de informática, de gerenciamento do armazém, roteirização, sempre cuidando da entrega, independentemente se o pedido irá direto para o endereço final ou se ainda passará pela etapa de last mile.

Em linhas gerais, são todos todos os processos de manejo, gestão de estoque e entrega ao cliente final.

‘‘A ideia é que ao cuidar de todo o ciclo de entrega do produto, o prestador seja um braço da empresa para a qual presta serviço, isentando-a da necessidade de certas áreas que precisaria manter internamente para realizar tais atividades. Em alguns casos o operador cuida até do pós venda’’, comenta Eric.

Sendo assim, a empresa pode focar em produzir, comprar bem, vender, e todo o resto da cadeia de entregas fica na mão de empresas especializadas, possibilitando ter uma operação mais exuta e competitiva, com uma estrutura menor e mais barata.

Hoje o mercado tem muita participação de empresas terceirizadas para fazer fulfillment: DHL, AGV e FEDEX são algumas das mais conhecidas.
Boa parte da indústria farmacêutica e de eletrônicos, por exemplo, têm esses processos na mão de terceiros. Por maior que seja a empresa, é uma prática comum.

Mas se engana quem pensa que o fulfillment serve apenas para grandes empresas. Pequenas e médias também podem se beneficiar dessa terceirização.

Galpão ideal para operações fulfillment
O tamanho do CD varia de acordo com o volume de produtos que serão manejados. Algumas empresas precisarão de três, cinco, cinquenta, cem mil metros quadrados. Além disso, um operador logístico fulfillment pode ser mono ou multiclientes, ou seja, prestar serviços para diversos clientes no mesmo site, ou, ainda, atender uma única operação dedicada.

Independente do volume e tamanho do CD, o conceito de fulfillment permanece.

Eric conta que operações fulfillment não exigem infraestruturas muito específicas de galpões, porém, os imóveis mais modernos acabam tendo características técnicas favoráveis, como conforto térmico, tecnologia, qualidade de iluminação: ‘‘Essa eficiência construtiva tende a gerar mais economia e fazer com que esse perfil de imóvel seja mais procurado pelos ocupantes, assim como a localização estratégica e o fácil acesso a rodovias importantes também atraem mais procura’’, finaliza.

A Cushman & Wakefield possui soluções tanto para ocupantes em busca do local ideal para instalar sua operação fulfillment, quanto para proprietários e players de condomínios logísticos que procuram atrair ocupantes. Além disso, a empresa presta consultoria em sustentabilidade para certificações como LEED e EDGE.

Clique aqui e saiba mais sobre os serviços de Transações da Cushman & Wakefield.