CONTACT US
Share: Share on Facebook Share on Twitter Share on LinkedIn I recommend visiting cushmanwakefield.com to read:%0A%0A {0} %0A%0A {1}

4 dicas para levar em conta ao escolher um operador logístico terceirizado

Eric Ammirati • 8/16/2023

Ao decidir terceirizar a logística da sua empresa, ou mesmo se já possui logística terceirizada, é importante que o operador logístico seja um parceiro de negócios confiável, que você possa contar para fornecer atendimento eficiente e de alta qualidade, independente do tipo de serviço contratado.

Como escolher um operador logistico

De acordo com a Abol – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Operador Logístico é a pessoa jurídica capacitada a prestar, através de um ou mais contratos, por meios próprios ou por intermédio de terceiros, os serviços de:

  • Transporte (em qualquer modal)
  • Armazenagem (em qualquer condição física ou regime fiscal)
  • Gestão de estoque (utilizando sistemas e tecnologia adequada)

Ao decidir terceirizar a logística da sua empresa, ou mesmo se já possui logística terceirizada, é importante que o operador logístico seja um parceiro de negócios confiável, que você possa contar para fornecer atendimento eficiente e de alta qualidade, independente do tipo de serviço contratado. Além de todos os outros fatores envolvidos, o sucesso do seu negócio depende disso.

Eric Ammirati, Gerente de Locações da Cushman & Wakefield, conta que os Operadores Logísticos podem ser uma excelente opção de parceiro estratégico do negócio: ‘‘isso possibilita que você tenha todo o processo de armazenagem, manuseio, controle de estoque, contratação de serviços de transportes, locação de equipamentos para a movimentação das mercadorias, escolha do local do centro de distribuição, contratação de mão de obra especializada, dentre outras atividades, nas mãos de um time especializado nesta parte complexa da sua atividade empresarial, podendo direcionar seu tempo, esforço e recursos de forma mais estratégica no crescimento do seu negócio’’, diz.

Assim como com os demais parceiros de negócios, antes de contratar um fornecedor de serviços logísticos, você deve se fazer algumas perguntas importantes. Essas informações também servem para avaliar o trabalho dos atuais prestadores.

A busca incansável pela vantagem competitiva em mercados muito concorridos, certamente, pode ser beneficiada pela escolha correta do seu operador logístico. Inclusive, para empresas menores ou médias, que podem ter diversos custos, sendo gerenciados por um parceiro e em muitos casos diluídos do que se a empresa tivesse que arcar com toda a infraestrutura para armazenagem e movimentação do seu estoque de forma independente: ‘‘Obviamente, cada empresa tem uma necessidade diferente e está em um momento de seu ciclo de negócio específico e precisará de uma solução customizada’’, explica Eric.

Usualmente as empresas podem atuar de duas formas distintas em relação ao uso dos galpões e armazéns:

  • Alugando diretamente o galpão, seguindos suas premissas e estratégias, e, então, contratando um operador logístico para atuar “in-house”. Neste modelo, a empresa mantém o controle sobre o contrato de locação e tem a liberdade de contratar e até mesmo substituir o operador caso o nível de serviço não seja satisfatório
  • Contratando um operador logístico que irá oferecer todos os serviços esperados e também ofercer um espaço em um de seus armazéns existentes, ou contratando um novo espaço para atender o seu negócio.

Algumas questões chave para você começar:

1. Segurança e qualidade da operação
Procure saber sobre a infraestrutura das instalações da empresa. O prestador oferece segurança 24 horas por dia, 7 dias por semana? O galpão logístico tem sistemas de backup para serviço de energia e internet? Em outras palavras, a empresa está garantindo um serviço ininterrupto?

2. Custos operacionais
As taxas para serviços de logística de terceiros não são os únicos custos de atendimento. Informe-se sobre quem arca com o custo de erros, incluindo erros de embalagem e de envio. O operador assume a responsabilidade por mercadorias perdidas ou danificadas? Os custos dos erros podem ‘‘comer’’ parte do seu resultado.

Procure um operador logístico com garantia para esse tipo de situação e com serviços precisos de estoque e atendimento.

3. Frete
Em alguns casos, o fornecedor pode ter contratos com grandes transportadoras. Simule custos de envio para pedidos típicos. Estude sobre a localização do galpão. Ele está posicionado estrategicamente? O CD pode ajudar sua empresa a conseguir um envio mais econômico?

4. Reputação
Na hora de escolher um operador de logística terceirizado, converse tanto com os clientes quanto com a empresa. As avaliações online podem ajudar a decidir se o atendimento é ideal para o seu negócio, mas existem outras formas de pesquisa reputacional, e, se possível, você deve passar por todas elas:

Avaliações online: busque por sites de revisão e classificação conhecidos, como o Trustpilot, Google Reviews ou Yelp.
Benchmark: liste as melhores empresas de comércio eletrônico que já teve experiência e procure saber quais seus operadores logísticos.
Associações do setor: Abol e Abralog, no Brasil, por exemplo. Veja a lista de associados e seus principais clientes. Se possível, contate alguns clientes para opinião.

Essas são apenas algumas questões que você deve levantar antes de contratar um operador logístico para sua empresa. Tenha em mente que o sucesso do varejo online está diretamente ligado a um bom serviço logístico. Para o cliente, depois do produto, agilidade e qualidade na entrega são os principais fatores para uma boa experiência. Do lado do varejista, a eficiência operacional é imprescindível.

ARTIGOS APRESENTADOS

Portal facilities
Artigo • Facilities Management

Conheça as funcionalidades do Portal Facilities

Além de todo know-how dos profissionais de Gestão de Facilities, a Cushman & Wakefield disponibiliza aos clientes de FM um software de gestão centralizada que visa atender com qualidade as necessidades de governança e administração dos serviços de manutenção predial, manutenção especializada e dos softservices.

Rodrigo Costev • 6/6/2024
Edificio Barao de Maua
Artigo • Labor / Talent

Edifício Barão de Mauá: do retrofit à reocupação

Após um importante retrofit, finalizado em 2018, o Edifício Barão de Mauá ressurge repaginado no mercado imobiliário carioca para continuar escrevendo sua história no coração da cidade.

 

Stela Hirata • 6/5/2024

NÃO ENCONTROU O QUE PROCURA?

Entre em contato com um de nossos profissionais.

A Cushman & Wakefield utiliza cookies para analisar o tráfego e melhorar a experiência de navegação do usuário neste website. Feche este diálogo para confirmar o seu consentimento, ou visite esta página para saber mais:
Informações Importantes sobre cookies

Mais opções
Concordar e Fechar
These cookies ensure that our website performs as expected,for example website traffic load is balanced across our servers to prevent our website from crashing during particularly high usage.
These cookies allow our website to remember choices you make (such as your user name, language or the region you are in) and provide enhanced features. These cookies do not gather any information about you that could be used for advertising or remember where you have been on the internet.
These cookies allow us to work with our marketing partners to understand which ads or links you have clicked on before arriving on our website or to help us make our advertising more relevant to you.
Agree All
Reject All
SAVE SETTINGS

Ao decidir terceirizar a logística da sua empresa, ou mesmo se já possui logística terceirizada, é importante que o operador logístico seja um parceiro de negócios confiável, que você possa contar para fornecer atendimento eficiente e de alta qualidade, independente do tipo de serviço contratado.

Como escolher um operador logistico

De acordo com a Abol – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Operador Logístico é a pessoa jurídica capacitada a prestar, através de um ou mais contratos, por meios próprios ou por intermédio de terceiros, os serviços de:

  • Transporte (em qualquer modal)
  • Armazenagem (em qualquer condição física ou regime fiscal)
  • Gestão de estoque (utilizando sistemas e tecnologia adequada)

Ao decidir terceirizar a logística da sua empresa, ou mesmo se já possui logística terceirizada, é importante que o operador logístico seja um parceiro de negócios confiável, que você possa contar para fornecer atendimento eficiente e de alta qualidade, independente do tipo de serviço contratado. Além de todos os outros fatores envolvidos, o sucesso do seu negócio depende disso.

Eric Ammirati, Gerente de Locações da Cushman & Wakefield, conta que os Operadores Logísticos podem ser uma excelente opção de parceiro estratégico do negócio: ‘‘isso possibilita que você tenha todo o processo de armazenagem, manuseio, controle de estoque, contratação de serviços de transportes, locação de equipamentos para a movimentação das mercadorias, escolha do local do centro de distribuição, contratação de mão de obra especializada, dentre outras atividades, nas mãos de um time especializado nesta parte complexa da sua atividade empresarial, podendo direcionar seu tempo, esforço e recursos de forma mais estratégica no crescimento do seu negócio’’, diz.

Assim como com os demais parceiros de negócios, antes de contratar um fornecedor de serviços logísticos, você deve se fazer algumas perguntas importantes. Essas informações também servem para avaliar o trabalho dos atuais prestadores.

A busca incansável pela vantagem competitiva em mercados muito concorridos, certamente, pode ser beneficiada pela escolha correta do seu operador logístico. Inclusive, para empresas menores ou médias, que podem ter diversos custos, sendo gerenciados por um parceiro e em muitos casos diluídos do que se a empresa tivesse que arcar com toda a infraestrutura para armazenagem e movimentação do seu estoque de forma independente: ‘‘Obviamente, cada empresa tem uma necessidade diferente e está em um momento de seu ciclo de negócio específico e precisará de uma solução customizada’’, explica Eric.

Usualmente as empresas podem atuar de duas formas distintas em relação ao uso dos galpões e armazéns:

  • Alugando diretamente o galpão, seguindos suas premissas e estratégias, e, então, contratando um operador logístico para atuar “in-house”. Neste modelo, a empresa mantém o controle sobre o contrato de locação e tem a liberdade de contratar e até mesmo substituir o operador caso o nível de serviço não seja satisfatório
  • Contratando um operador logístico que irá oferecer todos os serviços esperados e também ofercer um espaço em um de seus armazéns existentes, ou contratando um novo espaço para atender o seu negócio.

Algumas questões chave para você começar:

1. Segurança e qualidade da operação
Procure saber sobre a infraestrutura das instalações da empresa. O prestador oferece segurança 24 horas por dia, 7 dias por semana? O galpão logístico tem sistemas de backup para serviço de energia e internet? Em outras palavras, a empresa está garantindo um serviço ininterrupto?

2. Custos operacionais
As taxas para serviços de logística de terceiros não são os únicos custos de atendimento. Informe-se sobre quem arca com o custo de erros, incluindo erros de embalagem e de envio. O operador assume a responsabilidade por mercadorias perdidas ou danificadas? Os custos dos erros podem ‘‘comer’’ parte do seu resultado.

Procure um operador logístico com garantia para esse tipo de situação e com serviços precisos de estoque e atendimento.

3. Frete
Em alguns casos, o fornecedor pode ter contratos com grandes transportadoras. Simule custos de envio para pedidos típicos. Estude sobre a localização do galpão. Ele está posicionado estrategicamente? O CD pode ajudar sua empresa a conseguir um envio mais econômico?

4. Reputação
Na hora de escolher um operador de logística terceirizado, converse tanto com os clientes quanto com a empresa. As avaliações online podem ajudar a decidir se o atendimento é ideal para o seu negócio, mas existem outras formas de pesquisa reputacional, e, se possível, você deve passar por todas elas:

Avaliações online: busque por sites de revisão e classificação conhecidos, como o Trustpilot, Google Reviews ou Yelp.
Benchmark: liste as melhores empresas de comércio eletrônico que já teve experiência e procure saber quais seus operadores logísticos.
Associações do setor: Abol e Abralog, no Brasil, por exemplo. Veja a lista de associados e seus principais clientes. Se possível, contate alguns clientes para opinião.

Essas são apenas algumas questões que você deve levantar antes de contratar um operador logístico para sua empresa. Tenha em mente que o sucesso do varejo online está diretamente ligado a um bom serviço logístico. Para o cliente, depois do produto, agilidade e qualidade na entrega são os principais fatores para uma boa experiência. Do lado do varejista, a eficiência operacional é imprescindível.